Summary - Causalidade

Por 21 de agosto de 2017Summary

Nas postagens anteriores entendemos o conceito de correlação linear, correlação espúria e confundimento. Agora, entenderemos o conceito de causalidade.

Já vimos então que a correlação basicamente é uma medida de como duas variáveis se relacionam, mas isso não implica que uma causa a outra, como veremos no exemplo abaixo.

Neste exemplo, vemos um gráfico entre o número de laureados ao prêmio Nobel para cada 10 milhões de pessoas e o consumo de chocolate por quilograma, ano e renda per capita, isto para cada país. Olhando, vemos que há um indício de correlação linear entre as variáveis, ou seja, comer chocolate deixa as pessoas inteligentes? Ou ainda, consumir mais chocolate faz com que a pessoa seja nomeada ao prêmio Nobel?

Não necessariamente! Um famoso ditado no meio da Estatística é "... correlação não implica em causalidade...", então como saber se de fato existe uma relação de causa e efeito entre as variáveis?

O epidemiologista e estatístico britânico Sir Austin Bradford Hill propôs 9 critérios a fim de evidenciar a causalidade entre uma doença e uma exposição, são eles:

  1. Força da associação: magnitude, ou seja, quanto mais forte uma associação, mais provável que seja causal;
  2. Consistência: a relação deve ser consistentes com os dados de outros estudos;
  3. Especificidade: exposição especificamente associada a doença;
  4. Temporalidade: exposição antecedente a doença;
  5. Gradiente biológico: efeito dose-resposta, ou seja deve ser em gradiente/proporcional, um aumento na exposição aumenta o efeito da doença;
  6. Plausibilidade biológica: a associação deve ter uma explicação plausível, concordante com o nível atual de conhecimento da doença;
  7. Coerência: os dados devem seguir o paradigma da ciência atual e conhecimentos da doença;
  8. Evidências experimentais: mudanças na exposição alteram o comportamento da doença;
  9. Analogia: existem outras pesquisas com outra doença ou com outra exposição para explicar a correlação.

O maior exemplo ou pelo menos o mais conhecido é fumar causa câncer no pulmão?

Exemplo de fumar x câncer

Hoje é um conhecimento comum, mas na década de 1950 o cigarro era propagandeado como saudável. Mesmo com a inegável correlação entre o fumar e câncer no pulmão, questionava-se a causalidade, sobretudo por diversos possíveis fatores de confundimento ao longo dos anos, como: avanço da medicina e melhores diagnósticos, aumento da poluição, mais carros, entre outros. Tanto que o famoso estudo por evidenciar esta causa foi feito por mais de 40.000 doutores no Reino Unido dos anos de 1951 a 2001. Ou seja, causalidade não é algo simples de se constatar, e muitas vezes é confundida com correlação implicando em diversas interpretações erradas.

 

Referências:

https://www.theguardian.com

Autor Vinícius Felix

Mais posts de Vinícius Felix

Insira uma resposta